Monthly Archives: March 2014

[Info] 5 cartas rejeitando famosos provam que você nunca deve desistir de seus sonhos!

by Somente Coisas Legais

Eles hoje são considerados figuras extremamente famosas e bem sucedidas. No entanto, o início da carreira desses artistas tem algo em comum: a rejeição. É estranho imaginar que Madonna, Elvis e Steve Jobs tenham sido renegados, mas foram! Eles continuaram tentando, tentando e tentando até que conseguissem atingir seus objetivos. Claro que muita gente pode não ter tido a mesma “sorte”, mas a história dessas pessoas nos encoraja a continuar batalhando!

1. Madonna

madonna-rejection-letter__oPt
Fonte: perezhilton.com

Carta Traduzida
“Eu curti ouvir a Madonna. A produção, os arranjos e ela são muito fortes. A direção esta boa, na minha opinião. A única coisa que falta para este projeto é o material. Eu gostei de “I Want You”, “Get Up” e “Hight Society”, mas eu não gostei de “Love On The Run” por completo. Eu não sinto que ela está pronta ainda, mas eu posso ouvir a o inicio de uma grande artista. Vou passar por agora, mas esperarei por mais.Boa sorte e obrigado por pensar em mim.”

2. Tim Burton

tim-burton-carta-rejeicao
Fonte: lettersofnote.com

Cineasta norte americano, sucesso de bilheteria em muitos de seus filmes, como Edward, Mãos de TesouraBatmanA Lenda do Cavaleiro sem Cabeça, A Fantástica Fábrica De Chocolate (2005), e mais recentemente o Abraham Lincoln – Caçador de Vampiros. Em resposta ao seu primeiro livro, enviado para um editor da Walt Disney, ele recebeu essa carta animadora, porém rejeitando seu trabalho.

Carta Traduzida
“A história é simples o suficiente para um público jovem (4-6 anos), bonita, e mostrar uma compreensão da língua muito melhor do que eu esperaria de um dos estudantes do ensino médio de hoje, apesar de lapsos ocasionais de gramática e ortografia.

Pode, no entanto, ser muito derivada de Seuss para ser vendido – Eu simplesmente não sei. Mas eu definitivamente gostei de lê-lo.

Considerando-se que sofre de uma falta de ferramentas e materiais adequados, a arte é muito boa. Os personagens são encantadores e imaginativos, e tem variedade suficiente para manter o interesse. O layout também é bom – mostra boa variedade no ponto-de-vista. Consequentemente, eu não só gostei de ler sobre o Gigante, Zlig, mas eu dei uma risada vendo-o, também.

Espero que meus comentários possam agradá-lo. Obrigado pela oportunidade de ler O Zlig gigante, mantenha o bom trabalho e boa sorte.”

3. Andy Warhol

Andy-Warhol-carta-rejeicao
Fonte: papermag.com

Em 1956, Warhol teve seus trabalhos de arte rejeitados pelo Museu de Arte Moderna, de Nova York. Hoje, esse mesmo museu que o rejeitou tem em sua galeria 168 obras originais do artista, que é considerado um dos grandes nomas da pop art.

Carta Traduzida
“Na semana passada, a nossa comissão sobre as coleções do museu, realizou sua primeira reunião da temporada de outono , e teve a oportunidade de estudar o desenho intitulado Shoesque você tão generosamente ofereceu como um presente para o Museu.

Lamento que eu devo informar-lo que a Comissão decidiu, após cuidadosa análise, que não deve aceitá-lo para nossa coleção.

Deixe-me explicar que, por causa de nossa galeria e espaço de armazenamento severamente limitados, devemos recusar muitos presentes oferecidos, podemos mostra-los apenas com pouca freqüência.

No entanto, a Comissão pediu-me para passar a você seus agradecimentos por sua generosidade e interesse em nossa coleção.”

4. U2

carta-rejeicao-U2
Fonte: mentalfloss.com

Quando o U2 nasceu por volta de 79, RSO Records não aceitou gravar seu trabalho. Em alguns meses porém, a banda assinou com a Island Records e lançou seu primeiro single internacional, “11 O’Clock Tick Tock.” Eles venderam 150 milhões de cópias, ganhando 22 Grammy’s (mais do que qualquer outra banda).

Carta Traduzida
“Obrigado por enviar a sua fita de “U2″ ao R50, ouvimos com cuidadosa consideração, mas sinto que não é adequado para nós no presente.

Nós grande sorte com sua carreira futura.”

5. Jim Lee

jim-lee-carta-rejeicao
Fonte: instagram.com

Hoje, Jim trabalha para a DC  sendo uma das mais importantes figuras do mundo das revistas em quadrinhos. Mas em uma das muitas tentativas de chegar ao sucesso ele recebeu esta carta de rejeição da Marvel.

Carta Traduzida
“Seu trabalho parece como se tivesse sido feito por quatro pessoas diferentes. Seus melhores desenhos estão na página 7, painel com agentes (canto inferior esquerdo), e nas faces fechadas. O resto dos desenhos são de qualidade muito mais fraca. O mesmo pode ser dito para a seu desenho a tinta, envie novamente seu trabalho quando estiver mais consistente e quando você aprender a desenhar mãos.”

6. Outros que não salvaram suas cartas, mas que contam sua história.

Walt Disney – Demitido da Kansas City Star em 1919 por que ele lhe “faltava imaginação e não tinha boas ideias”

JK Rowling – Rejeitada por dezenas, incluindo HarperCollins, quando uma pequena editora de Londres deu a chance para o livro Harry Potter.

Oprah Winfey – Despedido como repórter da WJZ-TV de Baltimore, porque ela não conseguia separar suas emoções das histórias.

George Orwell – A editora recusou seu lendário romance  ”A Revolução dos Bichos” com as palavras: “É impossível vender histórias de animais nos EUA”.

Elvis Presley – Depois de uma apresentação em Nashville, no início de sua carreira, Elvis foi informado por um gerente que ele estava melhor com caminhões em Memphis (seu emprego anterior).

Steve Jobs – Demitido da empresa que começou, a Apple, foi trazido de volta desesperadamente, em 1997, para salvá-la. Apple é agora uma das empresas mais valiosas do mundo.

Stephen King – Seu primeiro livro “Carrie, a estranha” foi rejeitado trinta vezes. Ele quase perdeu o livro quando sua esposa salvou-o do lixo e o encorajou a continuar tentando.

Marilyn Monroe – No início de sua longa carreira como modelo e atriz, foi dito a ela para considerar se tornar uma secretária.

Leave a comment

Filed under Uncategorized

[Info] 10 Things You Didn’t Know About Tim Cook

Tim-cook
Apple CEO Tim Cook announces a new iPad during an Apple announcement in San Francisco in March, 2012.
IMAGE: PAUL SAKUMA/ASSOCIATED PRESS

BY SETH FIEGERMAN – Mashable

A few months after Steve Jobs took his first leave of absence from Apple in early 2009, Wall Street started to fall for Apple’s acting CEO Tim Cook.

Gene Munster, a prominent Apple analyst, told The Wall Street Journal in June of that year that Cook was even more essential to Apple’s future, from an investor perspective, than Jobs. “At this point,” he said, “losing Tim Cook would be a bigger deal to investors than if Steve Jobs stepped aside.”

That may have been welcome news for Cook and Apple at the time, but at least one person was unhappy: Steve Jobs.

“When Jobs heard about the press’s sterling evaluation of Cook’s performance, he hit the roof,” Yukari Iwatani Kane writes in her new book, Haunted Empire: Apple After Steve Jobs. “Cook had done an excellent job, but the leadership and skill he showed in doing so was unsettling.”

In Kane’s telling, based on interviews with current and former Apple employees, Jobs got upset at Cook and shouted: “I’m the CEO!” Cook was “unfazed” and “slipped back into the shadows” until he eventually took over as permanent CEO two years later.

This episode sheds a light on Jobs’ thinking about naming a successor and Cook’s careful maneuvering before, during and after the transition to become CEO of what was then one of the most valuable companies in the world. Jobs is portrayed in the book as genuinely wanting Apple to be successful in his absence, but perhaps not too successful. Cook, on the other hand, is portrayed as being a strong manager capable of steering the ship, but not someone likely to overshadow Jobs’ legacy.

“If Jobs was the star,” Kane writes, “then Cook was the stage manager.”

(In an unusual move, Cook issued a statement slamming the book as “nonsense” that “fails to capture Apple, Steve or anyone else in the company.”)

Wall Street doesn’t praise Cook’s performance quite as much these days. The company’s stock soared to new highs early on in Cook’s tenure, but has since tumbled back down to the low $500-range. Investors and consumers alike are waiting to see whether Apple can continue to innovate and release another breakthrough product. In short, Kane writes, Apple “now teeters at the edge of a reckoning.”

Whether the company falls off the edge depends in large part on a CEO who remains a mystery to many inside and outside the company. Cook is frequently described in the press with the same few (sometimes contradicting) words: Calm. Meticulous. Incredibly demanding. A machine who doesn’t need sleep.

Kane’s book sheds a little more like on Cook’s life and character through interviews with colleagues and people who’ve known him over the years, as well as stitching together second-hand materials. Here are a few of the things we learned about Apple’s CEO:

1. Tim Cook’s first job was delivering newspapers as a teenager — the Press-Register, a publication in his home state of Alabama. He also worked part-time with his mom at a local pharmacy.

2. His first experience running a company came while he was still in school at Auburn University. While working at Reynolds Aluminum as part of an educational program, the company laid off much of its staff. He ended up working closely with the president to help oversee the company.

3. Cook wanted to be an engineer. He studied industrial engineering in college and was described by one teacher as “a solid B-plus or A-minus student.”

4. Cook may have had grand ambitions to be rise to the top from his first days at the company. He broke with tradition for operations executives at the company and requested to have a “small office kitty-corner” to Steve Jobs’ office. “Few people thought much of it at the time,” Kane writes, “but they would later look back at it as an indication of the new leader’s ambition.”

5. Cook reportedly referred to himself as the “Attila the Hun of inventory.”

6. Over the years, recruiters have approached Cook with offers to serve as the CEO of other big tech companies like Dell and Motorola. He never budged.

7. Cook can be nearly as devastating in his dealings with staff as his predecessor Steve Jobs. He isn’t one for small talk. Instead, he grills employees by asking the same question over-and-over, or else waiting silently for long periods of time for a satisfactory answer, all while nursing a can of Mountain Dew or an energy bar. On one occasion, he calmly told a planner: “Your numbers make me want to jump out that window over there.”

8. Cook called his mother every week even when he was traveling around the world to handle issues with Apple’s supply chain. (Extra fact: his parents never used computers.)

9. He is very frugal both as a manager and in his personal life. Cook lived in a rental for years without air conditioning and, apparently, buys his underwear at Nordstrom’s half-yearly sale. As a manager, he is described as someone who “would haggle over a nickel to drive profits.”

10. Cook shied away from personal dealings with employees and worked out a different gym. However, as CEO, he does eat lunch with random employees in the Apple cafeteria, something Jobs rarely did.

BONUS: Tim Cook claims to not have a fear of failing. “If you start fearing things, then you don’t try anything new or different,” he once said in an interview with his alumni magazine. “If it doesn’t work out, it’s not the end of my world. I’ll go ride my bike.”

Leave a comment

Filed under Uncategorized

[Design] 34 Relatively Simple Things That Will Make Your Home Extremely Awesome

From 9GAG

34 Relatively Simple Things That Will Make Your Home Extremely Awesome

Leave a comment

Filed under Uncategorized

[Info] 31 coisas que ninguém te conta sobre se tornar um pai ou uma mãe

 – BuzzFeed Staff
publicado 25 de Fevereiro de 2014

Shutterstock

1. Em algum momento você vai acidentalmente machucar o seu filho e se sentir como a pior mãe do mundo.

 
31 coisas que ningu�m te conta sobre se tornar um pai ou uma m�e

Tente não levar isso tão a sério. Acontece com os melhores, mesmo que eles não admitam.

2. Você saberá muito menos sobre isso:

Você saberá muito menos sobre isso:
NY Times

“Espera. O que aconteceu?”

3. E muito mais sobre isso: 

E muito mais sobre isso:
CC BY some rights reserved by Tony Parkin67 / Via Flickr: 70955067@N00

4. Sua conta do Netflix vai eventualmente apenas sugerir programas de criança. 

Sua conta do Netflix vai eventualmente apenas sugerir programas de criança.
Netflix / Via evolvedmommy.com

“Eu sou uma pessoa adulta, Netflix! Eu não quero assistir Bubble Guppies! “

5. Seu bichinho de estimação não será mais a sua prioridade máxima.

31 coisas que ningu�m te conta sobre se tornar um pai ou uma m�e

Você: “Quando foi a última vez que nós alimentamos o cachorro? ” Marido: “Cachorro? “

6. Você vai engordar 7 quilos.

31 coisas que ningu�m te conta sobre se tornar um pai ou uma m�e

As crianças adoram comer sorvete, e o que você vai fazer? Deixar eles comerem aquele copinho de 100 gramas sem pedir um tamanho família para você? Isso seria falta de educação.

7. O banco de trás do seu carro vai ficar nojento.

O banco de trás do seu carro vai ficar nojento.

Não importa quantas vezes você lava o seu carro agora. Cheetos esfarelados, suco derramado e muitos outros lixos assim farão parte do futuro do seu carro.

8. Você vai comer 95% das suas refeições ou incrivelmente rápido ou com uma mão. Ou ambos.

31 coisas que ningu�m te conta sobre se tornar um pai ou uma m�e
Tiger Television / Via thatschurch.com

9. Você basicamente se torna um ninja 

31 coisas que ningu�m te conta sobre se tornar um pai ou uma m�e

Quando você precisar de algo do quarto do bebê tarde da noite, você vai conseguir entrar e sair sem levantar uma pena.

10. Independente dos seus melhores esforços, seus filhos vão pegar o seu iPhone.

Independente dos seus melhores esforços, seus filhos vão pegar o seu iPhone.

E depois sua galeria de imagens do celular vai ficar assim.

11. Ser pai é mais difícil do que você imagina, mas você quase não vai notar.

Ser pai é mais difícil do que você imagina, mas você quase não vai notar.

Tipo como as lagostas não notam que a água está ficando mais quente, pais não notam como criar as crianças fica cada vez mais difícil.

12. Você terá que manusear os doces como se eles fossem uma substância contrabandeada.

31 coisas que ningu�m te conta sobre se tornar um pai ou uma m�e

EU NEM ME SINTO MAL.

Se o seu filho sequer sentir o cheiro de chocolate na sua boca, você está ferrado.

13. Você vai rir mais do que em qualquer outro momento na sua vida.

31 coisas que ningu�m te conta sobre se tornar um pai ou uma m�e

As crianças fazem e dizem as coisas mais engraçadas do mundo. É bem incrível.

14. Você vai ser acordado às 2 da manhã para pegar água e encontrar o seu filho desmaiado quando você voltar.

31 coisas que ningu�m te conta sobre se tornar um pai ou uma m�e
Fox News / Via huffingtonpost.com

Porém, a boa notícia é que a água agora é totalmente sua!

15. Você vai ver as suas próprias falhas refletidas em você 

Você vai ver as suas próprias falhas refletidas em você.

É decepcionante quando você vê o seu filho imitando o seu mau comportamento, e isso vai fazer com que você queira ser uma pessoa melhor.

16. Dobrar roupas de crianças e bebês é uma tortura. 

31 coisas que ningu�m te conta sobre se tornar um pai ou uma m�e

Uma pilha normal de roupas vai te demorar três vezes mais para dobrar se ela estiver cheia de coisas de bebê.

17. É impossível se sentir um machão quando você está dobrando roupas de bebê. 

É impossível se sentir um machão quando você está dobrando roupas de bebê.
nata-lunata

Ahh, vejam o grande homem dobrando aquelas micro roupas pequeninhas.

18. O poder da fofura é mais formidável do que você imagina. 

O poder da fofura é mais formidável do que você imagina.
CC-BY-NC-SA 2.0 some rights reserved by mhaithaca / Via Flickr: 79715083@N00

Neste momento você está pensando, “Eu nunca vou aceitar os caprichos e desejos do meu filho.” Mas você nunca teve um bebê de 3 anos olhar para você dizer “Pufavô? PUFAVÔ?”

19. Você vai achar mais difícil falar com os seus amigos sem crianças por perto. 

31 coisas que ningu�m te conta sobre se tornar um pai ou uma m�e

Eu vejo você lá ou eu vejo você outra hora.

Dreamworks / Via mashable.com

Amigo: “Eu conheci uma menina linda na balada ontem a noite e a gente se falou o dia todo.” Você: “Eu troquei um fralda com cocô.” Silêncio chato.

20. As crianças se tornam pessoas de verdade muito mais cedo do que você imagina.

31 coisas que ningu�m te conta sobre se tornar um pai ou uma m�e

Quando o seu filho tiver 2 anos, você terá conversas mais gratificantes do que várias outras que você tem com adultos.

21. Alguma coisa que você ama será destruída.

Alguma coisa que você ama será destruída.
CC BY-NC 2.0 Some rights reserved by KaCleavland / Via Flickr: 67063626@N00

As crianças têm um dom para quebrar, sujar ou perder seus objetos favoritos. Não se apegue muito a essa cabeça de veado, amigo.

22. Você vai se tornar os seus pais.

Você vai se tornar os seus pais.
CC BY-NC-SA some rights reserved by Eph Zero / Via Flickr: 37464568@N00

Em algum momento você vai se ouvir dizendo, “Chega! Eu vou voltar pra casa! ” e “Seu rosto vai congelar desse jeito!”

23. Poucas coisas vão envergonhar você. 

Poucas coisas vão envergonhar você.

Cantar para o seu bebê chorando em público? Deixar os seus filhos na escola de roupão? Não. Vai precisar mais do que isso.

24. Você não vai conseguir assistir filmes onde as crianças são assassinadas ou sequestradas.

Você não vai conseguir assistir filmes onde as crianças são assassinadas ou sequestradas.
Buena Vista Pictures

Quando você tem um pequenino na sua casa que você ama mais do que tudo, esses filmes têm um efeito profundo demais.

25. Você não vai querer gastar dinheiro com você mesma porque você sabe que todo centavo gasto com você é um centavo que você poderia ter gasto com a sua família.

Você não vai querer gastar dinheiro com você mesma porque você sabe que todo centavo gasto com você é um centavo que você poderia ter gasto com a sua família.
NBC / Via sodahead.com

Esse é o motivo do porque os pais são famosos por usar jeans ultrapassados.

26. Comprar alguma coisa para o seu filho vai te fazer muito mais feliz do que comprar alguma coisa para você.

31 coisas que ningu�m te conta sobre se tornar um pai ou uma m�e

27. Quando o seu filho é pequeno, toda saída de casa vai parecer com se preparar para ir para o aeroporto. 

31 coisas que ningu�m te conta sobre se tornar um pai ou uma m�e

“Pegou os lencinhos? ” “Sim.” “As fraldas, uma troca de roupa, coberta, mamadeira, chupeta? ” “Eh, sim.”

28. Você vai adorar assistir filmes de criança.

Você vai adorar assistir filmes de criança.
Illumination Entertainment and Universal Studios

Isso não é porque os filmes são incríveis (apesar de que a maioria é tolerável hoje em dia), mas porque eles são uma experiência incrível de criação de laços com o seu filho.

29. Você vai enfiar sua vida inteira de adulto entre o horário que o seu filho apaga e o horário que você vai dormir.

Você vai enfiar sua vida inteira de adulto entre o horário que o seu filho apaga e o horário que você vai dormir.
Peter Bernik

“Rápido! Coloca The Walking Dead! Serve o vinho! Ah, saco. É hora de dormir.”

30. Por algum tempo, só você vai conseguir entender eles, então você basicamente vai se tornar o seu intérprete 

Por algum tempo, só você vai conseguir entender eles, então você basicamente vai se tornar o seu intérprete.

Vovó: “O que ela disse? Moogle woogle boo? ” Você: “Não, ela quer que eu leve ela e a prima dela no parque na Rua Smith na próxima terça-feira.”

31. E finalmente, tudo vale a pena. 

E finalmente, tudo vale a pena.
CC NC-SA 2.0 some rights reserved by derPlau / Via Flickr: 54669677@N00

Tudo bem, então isso é algo que as pessoas vão te contar, mas é verdade. Mesmo com todas as coisas enlouquecedoras que vêm com criar uma criança, ser a mamãe ou o papai de alguém é uma das experiências mais gratificantes da vida.

Leave a comment

Filed under Uncategorized

[Design] How to Create the Perfect Online Dating Profile, in 25 Infographics

 BY CAITLIN ROPER – WIRED

Every day, millions of singles crawl dating sites and apps, flipping through photos and profiles of potential matches. He’s got nice hair! She’s a skydiver! He’s a pastry chef! Users skim profiles looking for a reason to send a message or dismiss (hint: do not mention your mom or exes). Finding a date, let alone love, just isn’t easy—even though there are plenty of apps for that.

Here at WIRED, we couldn’t help but think there might be a better way to optimize your chances, so we pulled massive amounts of data from OkCupid and Match.com, searching for tips that might help you master Internet dating and find someone awesome.

Call it the algorithm method: Working with data crunchers at the dating sites, we put together 25 tips for writing the perfect profile, selecting the right photo, and really understanding your audience. We analyzed the 1,000 most popular words on both men and women’s profiles, tabulated the most popular movies and TV shows, and crunched stats on what people consider their best feature vs. what features their potential dates are attracted to. We even scoured the top 400 most popular OkCupid profiles—the hottest people on the site in ten US cities—to see what their profile pics could tell the rest of us about attracting a date.

We couldn’t have done any of this without the help of the data maestros at Match and OkCupid: Christian Rudder, cofounder and president of OkCupid, and Jim Talbott, director of consumer insights at Match.com. These guys and their data teams ran queries of all kinds and pulled spreadsheet after spreadsheet of information to try and answer our strange questions. We also needed OkCupid to get permission from their users to enable us to publish those popular profile pics. In short, we couldn’t have scraped all this data and derived this advice without the help of these talented data crunchers who are as dedicated to data analysis as we are.

Buried in all that data were some surprising facts about how to optimize your dating profile. If you’re a gay man, pose outdoors—48 percent of the profile pics of the most popular gay men on OkCupid were snapped outside. (It was 80 percent in Atlanta!) Selfies are acceptable for women (45 percent of top-ranking straight women used them, as did 4 percent of lesbians), but not so much for men. Enroll in a yoga class and learn to surf—they’re the most popular activities for men and women alike, so either desirable singles are super mellow or it’s aspirational, and everyonewants to be mellow. Mentioning cats is fine, but mention “my cats” and you’re a weirdo. The data shows that lesbians appreciate nice legs, gay men prize nice arms, and straight women and men are looking for flat stomachs above all else. The tips got pretty specific in some cases: It’s 28 percent better for a male to refer to females as women rather than girls, and men who use “whom” get 31 percent more contacts from the opposite sex.

 Mikey Burton

 Zohar Lazar

Our best advice? Learn to surf, listen to Radiohead, mind your grammar, use Tinder, OkCupid, Match, and Grindr on Sunday, watch Homeland, stop listing your eyes as your best feature (nobody cares), and please, please make eye contact with the camera and smile with teeth in your profile picture. Happy dating!

Leave a comment

Filed under Uncategorized

[Info] As lições da Olimpíada mais bem-sucedida da história recente

As Olimpíadas de Inverno começaram em Sochi, na Rússia, com alguns contratempos – a cidadenão está totalmente preparada para o evento. Agora é tarde para Sochi mudar sua trajetória; mas o Rio de Janeiro ainda pode fazer muito antes de sediar os Jogos em 2016. Por isso, talvez possamos aprender com o exemplo do que é considerada a Olimpíada de maior sucesso: Los Angeles, 1984.

No final dos anos 70, sediar os Jogos Olímpicos não era algo muito desejável: eles eram vistos como um risco financeiro. Montreal (Canadá) acumulou US$ 1,5 bilhão em dívidas por hospedar os Jogos de Verão de 1976, e só terminou de pagá-las em 2006. Denver (EUA) foi escolhida como sede para as Olimpíadas de Inverno de 1976, mas os eleitores da cidade não aprovaram o financiamento público; os Jogos foram para Innsbruck (Áustria).

Além disso, as tensões eram altas por se tratar de uma competição esportiva internacional. A Tragédia de Munique (Alemanha) ocorreu durante os Jogos de Verão de 1972: um grupo terrorista palestino sequestrou e matou 11 membros da equipe olímpica de Israel. E a Guerra Fria ainda existia: EUA e outros países boicotaram os jogos de 1980 em Moscou; e a União Soviética e outros países da Europa Oriental boicotaram os Jogos de 1984. Teerã (Irã), uma das favoritas no início, retirou-se do processo de licitação de 1984 no último minuto devido a protestos no país.

la olympics 1984 (7)

No fim, apenas duas cidades se ofereceram para sediar os Jogos de Verão de 1984: Nova York e Los Angeles. Como os EUA só podiam recomendar uma cidade para a licitação internacional, eles decidiram por L.A., e ela ganhou por tabela.

Preparando-se para os desafios

Os Jogos Olímpicos são, basicamente, uma enorme chance para uma cidade pequena ganhar destaque no seu país e mundo; ou para uma cidade grande se reinventar. Los Angeles certamente não era uma pequena aldeia em busca de validação, mas a cidade esperava mudar sua reputação de megalópole poluída, sem um centro nem orgulho cívico.

Críticos foram rápidos em dizer que L.A. era muito grande, despreparada e financeiramente desequilibrada. Além disso, ela já havia sediado Jogos Olímpicos antes, em 1932. Mas ela tinha um grande problema: a Olimpíada de 1984 foi a primeira na história a não ser patrocinada pelo governo, como é de costume em muitos países.

la olympics 1984 (2)

Portanto, a Olimpíada tinha que se preocupar com o orçamento. A organização dos Jogos foi comandada pelo empresário local Peter Ueberroth. Ele organizou um comitê que funcionava mais como uma empresa – a LA84. Ela possuía um conselho, composto por empresários e especialistas em finanças.

Assim, os jogos seriam financiados por algo sem precedentes: patrocínio empresarial, captação de recursos privados e – pela primeira vez nos EUA – acordos com canais de televisão. O comitê vendeu os direitos de transmissão para o canal ABC por US$ 225 milhões, levantando uma grande quantia muito antes dos jogos. Claro que a capital mundial do entretenimento chegaria a um acordo tão esperto.

Ueberroth foi eleito o Homem do Ano pela revista Time.

Contendo os gastos

Em geral, depois que uma cidade é eleita para hospedar as Olimpíadas, vem um frenesi de obras e edifícios. O problema é quando os Jogos acabam: a cidade fica com estádios vazios e sistemas de transporte inutilizados.

É o que aconteceu em Atenas (Grécia): lá, a maioria das arenas para os Jogos de 2004 agora estão vazios e dilapidados; e acredita-se que as enormes despesas contribuíram para a crise financeira da Grécia. Nagano (Japão) também caiu em recessão depois de seus Jogos de Inverno de 1998.Muito disso é ilustrado no projeto The Olympic City, em que Gary Hustwit e Jon Pacote viajaram até as cidades-sede para documentar o que acontece após os jogos.

Além disso, como vimos em Sochi, a nova infraestrutura é muitas vezes tão ambiciosa que não fica pronta a tempo: a Rússia ergueu cidades inteiras, para não mencionar uma rodovia totalmente nova e um túnel para acessá-las. E o pior é que isso não é novidade: em Montreal-76, o estádio olímpico não estava pronto quando os jogos começaram, devido a problemas de construção e greves trabalhistas. Ele devia ter um telhado, mas passou 11 anos sem um.

la olympics 1984 (3)

O comitê de Los Angeles decidiu que não permitiria construir nenhuma estrutura desportiva nova. Em vez disso, eles modificariam e atualizariam as arenas já existentes – muitas dentro de universidades. As cerimônias de abertura e provas de pista foram realizadas no Coliseu, construído para as Olimpíadas de 1932; mas vale notar que, das 31 arenas utilizadas no evento, só duas eram da Olimpíada anterior.

Os únicos novos espaços desportivos foram um centro aquático no campus da Universidade da Califórnia do Sul; e um velódromo. Ambos receberam forte apoio financeiro do McDonald’s e 7-Eleven. E as vilas olímpicas para os atletas foram reutilizadas como dormitórios para faculdades próximas.

Um belo design para salvar o dia

la olympics 1984 (4)

Naquela época, os comitês só tinham cinco anos entre a eleição como cidade-sede e o início dos Jogos; hoje, isso chega a quase dez anos. Rapidamente formou-se uma equipe de design, que incluía a liderança de duas empresas de destaque, Jerde Partnership e Sussman/Prejza, assim como muitas outras empresas e designers, que trabalharam juntos em um estúdio no centro de Los Angeles. O artista gráfico Robert Miles Runyan foi escolhido para criar o logotipo “Stars in Motion”: cinco estrelas que pareciam correr para a frente.

Para o resto do branding, a equipe teve diversas fontes de inspiração. Uma paleta de cores foi inspirada nas texturas e padrões de países do Pacífico; enquanto formas e cores vieram das culturas mexicana, indonésia e japonesa. Isto resultou em um tom magenta principal, misturado a outras cores vivas como ciano, amarelo e roxo. Dessa forma, eles não reproduziram as cores da bandeira americana (vermelho, branco e azul), dando ao design uma cara realmente internacional.

la olympics 1984 (5)

Com pouco tempo e um orçamento minúsculo de US$ 10 milhões, os designers logo notaram que precisariam usar materiais acessíveis e abundantes para criar milhares de peças, de placas de sinalização a edifícios temporários. Inspirada novamente pelo Pacífico, a equipe aprendeu com as tendas e altares temporários que eram construídos para festivais.

Em vez de erguer torres e esculturas gigantescas, a equipe usou estruturas infláveis ​​e andaimes modificados para criar marcos simples e coloridos. As placas de sinalização e orientação foram feitas de madeira pintada e Sonotubes – basicamente tubos gigantes de papelão – com fitas de vinil. As estruturas eram eficazes, de baixo custo, e podiam ser desfeitas sem problemas.

la olympics 1984 (6)

Design para a cidade e para o mundo

Como parte do acordo lucrativo na TV que ajudou a financiar os jogos, esta seria a primeira Olimpíada a se tornar um evento televisivo global. Sim, muitos jogos foram parcialmente televisionados antes de 1984, mas esta transmissão duraria 180 horas e seria vista pelo maior público da história. Sabendo disso, os designers focaram em elementos que funcionam bem na tela pequena da TV, com cores brilhantes e grande impacto gráfico. Pequenos refletores de metal, como se vê em concessionárias de automóveis, foram usados para dar brilho aos edifícios.

O design também ajudou a fazer as 88 cidades do sul da Califórnia – muitas com a sua própria identidade – se sentirem como uma só. Havia 42 arenas espalhadas por 800 km²; algumas ficavam a 150 km de distância umas das outras! Por isso, seria difícil dar uma sensação de continuidade entre esses locais. No entanto, o design criado para as Olimpíadas se repetia em elementos na paisagem, e ajudou a unir uma área incrivelmente grande. Para a audiência global assistindo de casa, esta foi – e sempre será – Los Angeles.

Mas o mundo também estava vendo por outro motivo: para ver se Los Angeles conseguiria aguentar os Jogos. Esta foi, de longe, a Olimpíada mais dispersa de todos os tempos. Por isso, os moradores temiam que o trânsito, normalmente já horrível, ficaria paralisado. Não havia um sistema pronto de trens, e o metrô só chegaria à cidade após uma década. Mas o impasse apocalíptico nunca aconteceu. A “febre olímpica” pegou: as pessoas ficavam em casa, organizavam carona e usavam ônibus; a cidade ficou milagrosamente navegável.

la olympics 1984 (9)

Um legado duradouro

Em 1979, a comissão organizadora de L.A. fez um acordo: se os jogos gerassem lucro, a LA84 daria 60% de volta ao Comitê Olímpico dos EUA, e manteria 40% para o sul da Califórnia. No final dos jogos, o total das despesas ficou em respeitáveis US$ 546 milhões, porém o lucro foi impressionante: US$ 232,5 milhões. Isso é enorme. Até então, só as outras Olimpíadas de Los Angeles, realizadas na cidade em 1932, tiveram sucesso financeiro.

Por isso, US$ 93 milhões ficariam na região. O valor foi usado para criar a Fundação LA84, que financia eventos, recursos e instalações para jovens praticarem esportes na região. Com uma gestão inteligente, o valor cresceu ao longo dos anos, e US$ 214 milhões ajudaram cerca de três milhões de crianças e 1.100 organizações no sul da Califórnia. Recentemente, a Fundação LA84 ajudou a levantar dinheiro para pagar treinadores e comprar equipamentos em escolas de L.A.,depois que cortes no orçamento acabaram com programas esportivos.

la olympics 1984 (11)

Los Angeles conseguiu pensar no futuro ao realizar os jogos, vendo o que seria deixado para a cidade depois que os atletas, imprensa e espectadores fossem para casa. Nem toda cidade que sedia os jogos aprendeu esta lição, é claro. Mas Los Angeles tornou-se um modelo para cidades como Barcelona (1992) e Atlanta (1996), que orquestraram Jogos de sucesso e revitalizaram seus núcleos urbanos, sem que isso pesasse para os moradores. Outras cidades olímpicas também tiveram lucro, mas LA-84 continua, de longe, a ser a mais bem-sucedida financeiramente.

L.A. também ajudou a tornar a Olimpíada novamente em motivo de orgulho para uma cidade. O design inovador, que capturou a imaginação dos moradores e de audiência global, fez a cidade parecer visualmente unida. E L.A. viu-se não apenas como uma cidade, mas como uma região, unindo-se às comunidades distantes que, pela primeira vez, se sentiam parte e tinham orgulho do sul da Califórnia. E isso poderia acontecer em outras cidades também: o exemplo foi dado há 30 anos.

Acredita-se que Los Angeles será uma das candidatas para hospedar os Jogos de 2024, depois do Rio de Janeiro e Tóquio. O processo de licitação começa em 2015.

la olympics 1984 (8)

la olympics 1984 (12)

la olympics 1984 (10)

Fontes adicionais: Design Quarterly 127, 1985, publicado pelo Walker Art Center

Fotos via Jerde Partnership e Sussman/Prejza; cerimônia de abertura via U.S. Air Force

Leave a comment

Filed under Uncategorized

[Tech] Indoor Location startups innovating Indoor Positioning

Don Dodge
JUNE 19, 2013

 

Google-my-location

Indoor Location and Positioning technology is the Next Big Thing. It is bringing the power of GPS and Maps indoors. We spend most of our time indoors, working, shopping, eating, at the mall, at the office, on campus, etc. Apple and Google are competing on street maps, but are also working on Indoor Location. Lots of startups are going after this market too. In this post I will mention all that I am aware of.

One or two winners, and a hundred broken hearts – Most web or social app markets are dominated by one or two big early players due to “First Mover Advantage” or network effects and scale of the user base. Indoor Positioning Systems will be different for two major reasons. First, there are so many potential vertical markets for applications it is unlikely one company or application could serve all the needs of those markets. Second, there are hundreds of thousands of mobile apps that can use Indoor Location in different ways. No clear leader exists today, and isn’t likely to emerge for a long time.

Since no single technology is ubiquitous some companies are employing multiple technologies in their product. Many of these companies are technology providers aspiring to be ILPS platforms with APIs for application developers. Some companies may show up in multiple categories below. They are presented in alphabetical order, not order of importance.

Phone location

There are trade-offs to each of the technologies. WiFi is low cost and ubiquitous, but not very accurate. High precision location usually requires higher cost and infrastructure work. Proprietary technologies can be very accurate, but cost more and aren’t ubiquitous…so the apps only work where that infrastructure is installed.

High accuracy today is considered to be 1 to 5 meters. Medium accuracy is 6 to 10 meters, and low accuracy is over 11 meters. Cost is a subjective thing but I will attempt a rough guess in the Low, Medium, or High cost range for each, with the symbols, $, $$, or $$$.

WiFi Triangualtion – WiFi Triangulation measures signal loss or strength from three or more WiFi hotspots to triangulate position. The app doesn’t need to access the WiFi, it just pings to measure signal strength.

WiFi Fingerprinting – Smartphones turn on WiFi for a few seconds to get a WiFi Fingerprint and associate it with a Check-In location. Compares the current WiFi Fingerprint to a known database of Fingerprint/Location pairs.

Beacons – Cheap, low power, radio beacons located at known positions within a building. Could be Bluetooth, High frequency radio, radio inference or other proprietary radio signals. Uses the same location triangulation methods as WiFi.

BlueTooth – Many electronic devices contain Bluetooth radios, including every smartphone. Bluetooth sensors can read signals from dedicated beacons, or dynamically create a mesh network of Bluetooth signals that refines location.

Sensors (Accelerometer, Gyro, Compass, Barometer, etc) – Most smartphones contain multiple sensors that can measure your direction, turns, speed, and height above sea level to create a three dimensional view of your location. Starting with a known position from other methods such as GPS, cellular, or WiFi, the smartphone sensors can be used to track your position inside a building. 

Indoor Lights – LED lights in the ceiling can be programmed to pulse in milli-seconds, so fast the human eye can’t detect the pulse. Your smartphone camera can detect the pulses and distinguish between different lights and triangulate your position.

Magnetic Field – Magnetic sensors can pick up the Earth’s natural magnetic forces to determine lat/long position similar to the way a compass works, but two dimensional, and much more accurate.

Cell Tower Signal – Triangulates approximate position using cell tower signal strength.

Low Orbit Satellites – Works like GPS, but lower orbit, higher power signal can penetrate inside buildings.

Camera Technology – A ceiling or wall-mounted camera within a building compares auto-generated snapshot photos from your Smartphone. Object recognition software uses pattern matching to compare those smartphone snapshots to the wall-mounted camera to determine precise location.

Indoor Mapping (not location) – All of these positioning technologies need indoor maps to plot your position. A few companies have been creating indoor map floor plans for thousands of public buildings.

Most of the companies above are technology providers, not application developers. An exception is Aisle411 which has both Indoor Location technology and an application for consumers and retailers. Most application developers will choose to support multiple technologies/companies in their applications to ensure that at least one of them will be available at any given venue.

Market Segments – Applications will emerge that target Indoor navigation, Location sharing, Location based games, Shopping list routing, Location based advertising, coupons, offers, Manufacturing, inventory, asset tracking, Workforce tracking, Defense/Intelligence, Police/Fire/First Responders.

There will be hundreds of new applications that no one has though of yet because the technology hasn’t existed. Think back to when GPS and web maps first emerged. No one knew what to do with it beyond some trivial apps. Today location and maps are built into hundreds of applications and millions of web sites. The same will happen with Indoor Positioning technology. It will ride the wave of Smartphone market dominance.

Some of the companies listed above will be big winners. New startups will emerge and rocket to leadership as the Indoor Location & Positioning System market develops. There is room for lots of winners. An exciting place to be for the next 5 years.

Disclosure: I was an investor in WiFiSlam before it was acquired by Apple. I am currently an investor in ByteLight, and an advisor to Aisle411 and Navisens. I work for Google which has, and continues to develop, Indoor Location technology.

Leave a comment

Filed under Uncategorized